CINTAS DE POLIÉSTER NÃO SÃO SEGURAS. É MESMO?

  • Posts
  • CINTAS DE POLIÉSTER NÃO SÃO SEGURAS. É MESMO?

CINTAS DE POLIÉSTER NÃO SÃO SEGURAS. É MESMO?

As cintas de fibra sintética podem ser feitas de vários materiais, incluindo poliéster (PE), poliamida (PA) e polipropileno (PP). 

Por exemplo: Uma cinta tubular redonda (sem fim). O que dá força a essas cintas é o atrito entre os muitos fios individuais enrolados em um círculo. Essas eslingas também são fabricadas com um fator de segurança que normalmente é 7:1. Um fator de segurança indica a diferença entre a carga nominal e a carga mínima de ruptura do equipamento. 

As cintas foram originalmente desenvolvidas para levantar objetos onde danos na superfície seriam inaceitáveis. No entanto, eles podem ser usados ​​para qualquer operação de elevação em que não haja excesso de calor, certos produtos químicos ou bordas afiadas inaceitáveis. Elas oferecem uma enorme vantagem na economia de peso em relação às correntes ou cabos de aço, tornando-as mais seguras de manusear, além de evitar cortes e ferimentos por bordas afiadas ou fios quebrados. Elas falham quando os levantamentos não são planejados adequadamente. Existem muitos fatores que podem afetar negativamente a resistência de uma cinta: Danos químicos – Danos UV – Cortes e perfurações – Abrasão – Costura quebrada – Dano por alta temperatura – Nós – Conectores inadequados – Ângulo de elevação inapropriado – Bordas afiadas (quinas vivas) – Sobrecargas.

Bordas afiadas ou quinas vivas são uma preocupação séria em qualquer operação de elevação, independentemente do tipo de linga usada. De fato, a definição de ‘borda afiada’ foi originalmente concebida para cabos de aço. Uma aresta é definida como ‘afiada’ se o raio da aresta (r) for menor que o diâmetro ou espessura da linga (d); a espessura da linga é definida como sua espessura sob carga. No entanto, deve-se considerar também a forma e a estrutura da própria borda, o que pode aumentar a nitidez da borda. Esta regra significa que uma aresta pode ser considerada ‘afiada’ mesmo que seja um objeto perfeitamente redondo. Por exemplo, um tipo disponível de cinta tubular de 100 toneladas tem uma espessura de carga de aproximadamente 160 mm. Isso significa que qualquer aresta com um raio inferior a 160 mm seria considerada ‘afiada’.

Fica a dica!

Posts Recentes

CABO DE AÇO NÃO ARREBENTA!

Apesar de parecer uma afirmação estranha aos olhos de quem já presenciou algum acidente envolvendo cabos de aço, ou mesmo de quem foi vitimizado por um sinistro em decorrência da ruptura de cabos de aço…

SAIBA MAIS →

Contatos

Matriz - Rio de Janeiro